O Corpo de Dor

  1. Acordar para J
  2. O Corpo de Dor

Estou lendo um livro do autor Eckhart Tolle, um dos mais respeitados professores d’UCEM no mundo (Um Novo Mundo – O despertar de uma nova consciência, imagem abaixo) que contém reflexões profundas e explicações detalhadas sobre os conceitos mais básicos de Um Curso Em Milagres.

Tentar explicar o conceito de corpo de dor sem usar as palavras textuais de Tolle chega a ser leviano, mas farei o meu melhor.

Todos nós temos um corpo de dor individual, bem como compartilhamos um corpo de dor coletivo. Como o nome sugere, esta “entidade” é constituída de dor, alimenta-se de sofrimento, e como tudo que vem do ego age sub-repticiamente, fazendo com que o indivíduo na inconsciência do Ser se iluda com as emoções e pensamentos advindos do corpo de dor.

O corpo de dor pode ser “individualizado” (cada um tem seu próprio corpo de dor), como pode ser coletivo (uma nação, a humanidade, um bairro, etc).

Devido à ação do corpo de dor as pessoas viciam no sofrimento, seja o próprio, seja o alheio. Basta ver os divertimentos que bem pouco evoluíram da Idade Média até os dias atuais: se antes jogavam não-romanos aos leões, ou para matarem um ao outro nas arenas, hoje em dia há encenações cinematográficas cada vez mais perfeitas, sem contar os esportes (não só os de luta) em que a violência e o derramamento de sangue dão a tônica.

Ninguém precisa abrir mão do gosto pelos enlatados do cinema ou pelas peleias por cinturões e títulos que nada significam.

Basta estar ciente da existência do corpo de dor, saber como ele age, para em vez de apenas reagir a estímulos e emoções deixar que o Espírito Santo em si conduza qualquer situação de conflito, seja qual for o nível deste.


Leia aqui a transcrição de parte do texto de Eckhart Tolle sobre o corpo de dor.